Lá estava eu andando pelo centro histórico do Rio de Janeiro e ao chegar no Paço Imperial fiquei imaginando como deveria ser difícil para o povo daquela época ficar andando neste calor com aquelas roupas, né? E o engraçado foi que ao pensar nesta situação é que descobri que a família imperial, para fugir do calor do verão carioca, subia a serra em direção ao topo da Serra da Estrela, numa linda cidade que hoje é conhecida com  nome de Petrópolis. E assim, o Fernandanças também resolveu sair um pouquinho do calor da cidade maravilhosa para trazer para vocês um pouco dos encantos desta outra maravilha do Estado do Rio de Janeiro.

A distância entre o Rio e a cidade de Petrópolis é de 66km via BR-040, e o mais legal é que você sai do nível do mar até uma altura de 809m. E para subir essa serra decidi procurar uma empresa de Turismo, pois apesar de ficar um pouco limitada com os horários, tinha apenas um dia para conhecer Petrópolis. Porém, para quem quer fugir um pouco dos tais “saímos em 30 minutos” ou “pessoal por favor não temos mais tempo”, a estrada, apesar das curvas e curvas sinuosas, que podem lhe deixar meio enjoadas (como eu) é muito tranquilo ir de carro, ou se você quiser economizar passo para vocês no final do texto os horários de ônibus que fazem este trajeto. Ahh! O passeio custou R$130,00 e o roteiro, você vai conhecer a seguir.

Saímos as 9h da manhã do centro do Rio e chegamos a Petrópolis 40 minutos depois. Nossa primeira parada foi no Palácio Quitandinha, um hotel construído em 1944 por Joaquim Rolla, que tinha como grande objetivo disponibilizar ao seu público o maior Hotel Cassino da América Latina. Localizado no nr. 02 da Avenida de mesmo nome de seu idealizador, os 440 apartamentos e os dez salões do hotel distribuídos em 6 andares, compõem uma área em torno de 50 mil m²! Além disso, a cúpula do Salão Mauá, com 30m de altura, é a segunda maior do mundo. O Hotel ainda possui uma piscina em forma de piano (que era aquecida), um lindo lago que possuía uma praia artificial com areia vinda da praia de Copacabana, e uma decoração espetacular inspirada no cenário Hollywodiano feita por Dorathy Draper, decoradora e coreógrafa americana.

Com a proibição dos jogos de cassino no Brasil em 1946, O Palácio Quitandinha passou a ter dificuldades de funcionar como hotel, e os quartos e salões que por ali se hospedaram e se apresentaram astros como Virgínia Lane, Grande Otelo, Mariquita Flores, Yma Sumac, Ray Ventura, Madeleine Rosay, Jean Clayton, Carmen e Aurora Miranda, Henry Ford, Walt Disney, Orson Welles, entre outros, hoje é um condomínio particular que terceirizou a administração do Palácio ao SESC, possibilitando que ali ainda ecoem o som de apresentações musicais e que o público possa conhecer a sua beleza imponente. Vale muito a pena conhecer.

Ahh! No Palácio funciona também uma pista de boliche aberta ao público de quarta a domingo. Neste link você pode saber mais sobre as atrações do Palácio, bem como os valores de ingressos e atrações e seus horários de funcionamento.

Após o almoço, nossa próxima parada foi na Catedral São Pedro de Alcântara. Uau, foi a igreja mais linda que eu já conheci até hoje. Tanto pela sua arquitetura e seus vitrais, como pela história que permeia por todos os cantos desse lugar. Nessa Catedral está localizado o Mausoléu Imperial, onde se encontram os restos mortais de D. Pedro II e sua esposa, Tereza Cristina, além de sua filha, a Princesa Isabel, seu marido, o Conde d’Eu. Ali ainda estão sepultados o filho da Princesa Isabel, Pedro de Alcântara, e sua esposa Elisabeth. Outro destino imperdível!

O acesso a Catedral é gratuito. Clique aqui para saber mais.

Depois desta parada partimos para fazer algo muito legal!!! Compras na Rua Teresa, uma rua com mais de 1200 lojas que tem no vestuário o seu carro chefe. E olha, os preços compensam subir e descer a ladeira desta rua. No site www.rteresa.com.br/portfolio/ você confere a relação das lojas que estão na Rua Teresa. Eu fui, comprei e aprovei.

Após consumirmos um pouco, voltamos agora para a história e para a grande surpresa que eu tive neste passeio. Eu nunca imaginei que eu iria conhecer a casa onde morou Santos Dumont! O hoje Museu Casa Santos Dumont, foi a residência de verão do gênio brasileiro e pai da aviação. Desde o chuveiro aquecido a gás, o observatório astronômico e a escada de acesso onde você obrigatoriamente inicia a subida com o pé direito, conhecer essa casa me mostrou um pouco da genialidade e também da superstição dele. O ingresso custa R$8,00 e, para estudantes e professores o ingresso custa R$4,00. O Museu está aberto de terça a domingo das 9 as 17:30.

Pra finalizar esse passeio, eu posso dizer para vocês que conhecer o Palácio Imperial de Petrópolis, ou a casa de verão da Família Imperial, hoje o Museu Imperial, me fez conhecer e vivenciar a história do Brasil de uma forma muito mais intensa do que os anos em que tive História do Brasil na escola. Ver o trono de Pedro II, a Coroa e a Roupa de quando foi coroado Imperador do Brasil, o mobiliário e a suntuosidade do Palácio me levaram para o século XIX.

A única coisa que não gostei do Palácio, ao contrário de todas as outras atrações que conheci em Petrópolis, é que não é possível fotografar ou filmar no interior dele. Mas podem ter certeza que tudo está registrado na minha memória e que vai ser difícil eu esquecer do que vi por lá.

No Palácio ainda existe um lindo jardim que é o cartão de visitas do museu, bem como um anexo com carruagens da época imperial e uma Maria Fumaça. Além disso, o Museu Imperial promove exposições e eventos musicais ao longo do ano. Para essas informações, bem como horário de funcionamento e preço dos ingressos, acesse o site do Museu Imperial.  Quando for a Petrópolis, lhe aconselhar a reservar o dia inteiro para conhecer e apreciar a residencia de verão da Família Imperial.

Como eu já previa, apenas um dia para conhecer Petrópolis, foi muito pouco. Lugares como o Museu de Cera, a Casa da Princesa Isabel, o Orquidário, a Cervejaria Bohemia, Casa de Rui Barbosa, o Mosteiro da Virgem, entre tantos outros que percebi ao longo deste passeio me fizeram sentir uma obrigação de ir para Petrópolis e ficar por ali pelo menos por uma semana para conhecer a fundo essa bela cidade da Serra do Rio de Janeiro, também chamada de cidade Imperial. No site oficial da cidade de Petrópolis existe um mapa do google maps com a localização de todas as atrações culturais de Petrópolis. E vendo esse site, minha vontade de voltar a Petrópolis aumentou ainda mais, pois a natureza deste lugar também é magnifica.

Espero que tenham gostado e não deixem de ver o vídeo que fiz especialmente para vocês. Lembrando que infelizmente o interior do Museu Imperial não foi possível fazer imagens. Se você ficou com alguma dúvida ou deseja informações, por favor não deixe de postar abaixo que terei o prazer de responder. Abração galera!

2 thoughts on “A histórica e bela Petrópolis – RJ”

  1. Olá Fernanda! Tudo bem? Como é bom viajar! Parabéns por mais essa viagem! Estamos aguardando a visita de vocês no Estado do Espírito Santo, precisamente em Afonso Cláudio na nossa. Conhecer onde também voa a Águia Chilena. Um grande abraço para você e o Antônio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.