Galera, o post de hoje vai ser muito mas muito diferente de todos os que vocês já viram aqui no Fernandanças. Hoje, pela primeira vez na história deste blog, esta que vos fala, não participou da andança, da viagem, da diversão! Desta vez foi somente trabalho pois, enquanto fiquei em casa cuidando dos meus pequenos, meus amigos e o meu marido foram se aventurar na cidade de Ribeirão Preto, SP, para curtir a 16ª. edição do maior festival de rock nacional que aconteceu no dia 10 de Junho deste ano: O João Rock!!!!

Então neste momento, saio de cena e deixo esse teclado para o meu amado Antonio que vai contar pra vocês como foi essa experiência. Valeu galera e no ano que vem estarei lá para daí sim, contar mais um pouco do que é essa jóia da música brasileira.

Salve galera, maridanças na área para trazer para vocês como foi essa experiência de ter curtido horas e horas do bom e velho rock brasileiro, nas terras paulistas de Ribeirão Preto. Desde já deixo a primeira dica: não deixe de ir no João Rock de 2018, vale muito, muito mesmo!

Tudo começou em uma mesa com 6 amigos conversando quando um deles perguntou: Vocês já ouviram falar do João Rock? Não demorou muito para entrar no site do festival e comprar os ingressos, buscar hotel e traçar a rota para percorrer os quase 900km de distância que nos separavam do festival. Uma dica que aprendemos com a experiência e que foi possível perceber na cidade de Ribeirão, se você pretende ir para o festival de 2018, faça tudo com antecedência pois a cidade lota no evento. Ficamos no hotel Plaza Inn, no centro de Ribeirão e muito bem localizado. Recomendamos e vai aqui o link do hotel.

Como a Fê escreveu acima, ela acabou tendo que ficar em casa para ficar com os nossos pequenos, o João e a Naná (Roqueiros menores de idade, pois no evento somente acima de 18 anos!)  e, assim, a troupe foi composta somente por mim e os nossos amigos Éverson e Arlete, roqueiros e pessoas da melhor qualidade. Valeu parceiros, ano que vem tamo junto!!

Chegamos em Ribeirão na sexta feira a noite, dia 09, fizemos o check in no hotel e sem delongas partimos para curtir um dos ícones da história boêmia do Brasil: A Choperia Pinguim. Fundada em 1936 e até hoje mantendo a arquitetura de sua época de instalação, ir no Pinguim é como entrar na história de Ribeirão e até nacional em virtude de grandes nomes que ali sentaram para um bom papo e apreciar um bom chopp. Para não fugir a regra, foi o que fizemos e literalmente fechamos o Pinguim.

Depois das várias canecas de chopp e uma noite de sono, chegou o dia do grande evento. Aí vai uma outra dica: não se deixe levar por modismos na hora de pegar um transporte: mesmo achando que o Uber vai ser mais barato cote o preço do táxi antes de ir. Para nossa surpresa o Táxi foi mais barato que o que estava apontando no aplicativo do Uber. Porém, tem um ditado que  barato sai caro né…. brincadeira, o motorista não teve culpa nenhuma, mas bateram na traseira do táxi que nos levava e, como o trânsito tava muito engarrafado, não iria adiantar esperar outro táxi e resolvemos caminhar longos 2 km até o Parque de Exposições de Ribeirão. Mas disso não precisamos falar muito, apenas que sim, mais uma vez, vale a pena sair mais cedo.

Na chegada ao Parque tivemos problemas para entrar, pois eu não sei dizer ao certo se eram as catracas que não estavam funcionando, ou se não tinha luz para o bom funcionamento da leitura dos Code’s do ingresso. Como tudo estava meio no “manual”, perdemos mais de uma hora de evento até entrar finalmente no João Rock. Outra dica importante: Saímos do hotel as 15 horas, porém os portões abriram as 15horas, então vale a pena chegar no horário de abertura dos portões (outra vez a dica: saia mais cedo!!!) para poder curtir o evento em sua totalidade bem como evitar a fila e o tumulto. Por ter chegado mais tarde perdemos de poder ver o Mineirinho, isso mesmo o hexacampeão mundial de skate, se apresentar em um half pipe montado no parque.

Outra dica importante sobre o pré-evento: O Cartão de consumo do João Rock, o cartão porta baquetas,  pode ser adquirido pela internet antecipadamente, bem como creditar as baquetas (moeda do evento).  Embora a organização tenha disponibilizado pontos de retirada do cartão pela cidade de Ribeirão, como chegamos praticamente no dia do evento, a retirada do cartão ficou restrita a pontos internos. Como chegamos tarde, imagina o sufoco que foi para conseguir retirar o cartão! Então, como você não consegue comprar nada no João Rock sem o cartão do evento, chegue pelo menos um dia antes para que você possa retirar com tranquilidade nos pontos autorizados pela cidade, ou pleo menos chegue mais cedo para evitar filas e tumultos (Meu Deus, mais uma vez a dica de sair mais cedo!!!). Ah, e para quem foi este ano guarde o cartão como recordação, pois conforme está informado no site do João Rock, este não valerá para o ano que vem.

Ufa! Mas depois de filas, filas e a hora passando conseguimos finalmente chegar em frente ao palco principal (1) para curtir o set list do evento que contou com Armandinho, Humberto Gessinger, Nando Reis, CPM22, Pitty, Capital Inicial, Rappa e Emicida. O grande barato do palco João Rock, é que existem 2 palcos e não só um, ou seja, quando acaba um show o outro palco já está pronto para o próximo show. Nisso o João Rock deu banho de organização no Rock n’Rio.

No retorno para casa a sensação de que mais uma vez Fernando Pessoa estava certo quando disse que “tudo vale a pena quando a alma não é pequena”. Ahhh, e eu não pude deixar de tirar uma foto junto a placa da cidade que até agora não acredito que seja em homenagem a uma pessoa. Fernanda, temos que conhecer Bady Bassitt!

Valeu galera. Curtam o vídeo abaixo e deixem seus comentários. Serão muito bem vindos. Abração a todos.

(1) O Festival contou com três palcos: O Palco Brasil com apresentações de Zé Ramalho, Alceu Valença, Lenine e Nação Zumbi); o Palco Fortalecendo a Cena com apresentações de Selvagens a procura de Lei, Medulla, 3030, Cidade Verde e Haikaiss; e o Placo João Rock que contou com apresentações de NDK e Machete Bomb (Bandas que empataram na final do concurso de bandas do evento, Armandinho, Humberto Gessinger, Nando Reis, CPM22, Pitty, Capital Inicial e Emicida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.