No dia 02 de setembro de 2018 o Brasil teve uma das maiores perdas culturais de toda sua história, quando um incendio tomou conta do Museu Nacional de História Natural.

Este era a instituição científica mais antiga do Brasil sendo foi fundado por Dom João VI.  Também maior era o maior museu de história natural e antropológica da América Latina. Ele originalmente estava localizado no Campo de Sant’Anna e somente em 1892 que sua estrutura foi transferida para a Quinta da Boa Vista, onde tivemos o imenso prazer de visitá-lo.

Por lá tivemos a oportunidade de conhecer as seguintes coleções:

  • Evolução da Vida (a história da Terra e dos primeiros seres que a povoaram),
  • Nos Passos da Humanidade (a evolução do Homem),
  • Culturas Mediterrâneas (arte e artefatos greco-romanos),
  • Egito Antigo,
  • Arqueologia Pré-colombiana (arte e artefatos dos povos que habitavam as Américas),
  • Arqueologia Brasileira (onde se destaca Luzia, o esqueleto mais antigo das Américas),
  • Etnologia Indígena Brasileira (a diversidade, a arte e o engenho dos índios brasileiros)
  • Culturas do Pacífico, além das diversas seções dedicadas à Zoologia.

Agora você pode imaginar o tamanho da perda para a ciência e a cultura não somente brasileira, pois como citei a cima haviam peças até do Egito!

Um detalhe muito interessante é que boa parte das peças que existiam nas exposições eram objetos ganhados ou comprados pelo próprio Dom João VI ou outros integrantes da família real ou imperial!

Além das coleções que queimaram o prédio em si também era de grande história e relevância. Ali foram tomadas várias decisões, pois o lugar foi residência da família imperial portuguesa e também brasileira.

Por isso hoje resolvi partilhar com vocês um pouco do que vivemos por lá para que assim guardemos na memória o quão incrível era esse lugar que foi deixado perecer!

Abaixo algumas fotos da nossa visita e la no final um vídeo com mais informações e muito mais para vocês!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.