O Belíssimo Cajón Del Maipo e Embase El Yeso

No post de hoje vamos conhecer o Embase El Yeso, um dos lugares que, embora seja um lago artificial, está entre as paisagens mais bonitas que já tive a oportunidade de conhecer. O Embase El Yeso está localizado na estrada que percorre o Cajón del Maipo, denominação local para o vale que se forma aos pés da Cordilheira dos Andes que percorre o Rio Maipo, cerca de 110km de Santiago.

Para conhecer este local inúmeras operadoras de turismo de Santiago realizam passeios diários para a região. No passeio vi muitas pessoas que foram ao local de Táxi ou com veículos próprios. No verão não haveria problema em ir até lá dirigindo, mas no inverno com gelo e neve na estrada, acredito que seja muito mais seguro ir com alguém que possua experiência em dirigir nessas situações.

Para o nosso passeio optamos pela Turistik que custou R$ 247,00  por pessoa. Foi muito tranquilo, confortável e nosso guia Revier foi espetacular.

Mas antes de falar do Embase, vou contar para vocês um pouco da viagem até lá, pois percorrer as cidades localizadas no percursos, como o povoado de São José do Maipo, me mostraram paisagens que não conseguia parar de admirar as belezas desta região. A cordilheira dos Andes e suas formações são espetaculares. Este é uma viagem em que a jornada é tão fascinante quantos o seu destino final.

Aqui já fica uma dica: Não tive a oportunidade de conhecer a fundo a região do Rio Maipo (cidades como San José del Maipo, El Melocotón, entre outras), mas com certeza é um local que pretendo voltar pois além dos atrativos turísticos naturais (águas termais, parques, entre outros), a região possui uma vasta estrutura para a prática de esportes radicais como bungee jump, rafting, trekking, cavalgadas, mountain bike, entre outros. Ainda, se hospedar nas pousadas da região (que vão das mais charmosas até a mais simples) propicia aos seus hóspedes um dos céus super estrelado por ser uma região seca, fria e com pouca luz artifical.

Boa parte do trajeto e percorrido em rodovia asfaltada, porém a medida que a altitude vai aumentando o asfalto vai dando lugar a estradas de chão batido sinuosas com inúmeras pedras e curvas sem acostamento. Esteja preparado para muitos sacolejos e para quem enjoa, como eu, um remedinho para evitar esse mal estar é bem recomendado (eu esqueci o meu!!!).

Ahhh… antes que eu esqueça, nosso passeio aconteceu no mês de maio, praticamente já no inverno chileno, e desta forma encontrar paisagens nevadas é muito comum. Porém, se for nos meses mais quentes de Setembro a Abril, logicamente que a paisagem do Cajón del Maipo será totalmente diferente do que você está vendo aqui.

A primeira parada que fizemos, já com muiiiiita neve, foi em uma base militar abandonada que funcionou durante os anos 80. A estrutura de cidade fantasma, contrastada com as montanhas da Cordilheira e a neve, proporcionaram fotos espetaculares.

Depois de cerca de 2 horas e meia de viagem, finalmente chegamos ao Embase El Yeso, um lago artificial que represa a água de degelo da cordilheira e o Rio Maipo, localizado a cerca de 2500 m de altitude. Tava muito frioooo… mas a beleza do lugar me fez esquecer totalmente do meu nariz gelado.

Principal fonte de água da cidade de Santiago, o Embase El Yeso possui cerca de 400 milhões metros cúbicos de água limpa e cristalina que projetam em sua superfície o reflexo das montanhas que o rodeiam. É tão lindo que passa a ser até um pouco difícil de expressar em palavras as sensações que tive naquele lugar.

No final do passeio, uma surpresa bem agradável: nosso guia nos esperava com uma mesa com vinhos e guloseimas. Foi uma sensação surreal sentir o gosto de um bom vinho chileno conciliado com o vento frio e suave da cordilheira e a beleza exuberante do Embase El Yeso. Recomendadíssimo.

Uma grande dica: No Embase El Yeso, bem como boa parte do Vale del Maipo, siginifca dizer que você está no meio das cordilheiras e de um lugar não muito apropriado para a instalação de estruturas urbanas, portanto nada de banheiro ou banquinha para comprar água ou comida. A parada aqui é para apreciar a natureza. O Antonio que o diga e suas inúmeras escapadas para um pipizinho.

Outra dica importantíssima: se você for ao Embase, jamais… jamais entre no lago, pois para evitar o congelamento da água o lago possui estruturas submersas que “sugam” a água para circulação. Existem casos de acidentes fatais de pessoas que, encantadas com a tranquilidade e a transparência da água do lago, foram sugadas pelo lago.

Agora acompanhe no vídeo como foi esta nossa aventura neste encantador lugar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.